Laboratório da TecMinho já apoiou 250 ideias de negócio de 550 empreendedores

0
9

O laboratório de ideias de negócio IdeaLab, pioneiro nas universidades portuguesas, já apoiou 250 ideias, mais de 40 novas empresas e 550 participantes em 17 edições. O projeto da TecMinho e Universidade do Minho (UMinho) colocou, ontem, à prova sete novos projetos.
O IdeaLab – Laboratório de Ideias de Negócio apoia a geração e o desenvolvimento de ideias de negócio de base tecnológica e/ou conhecimento intensivo. Para além de testar o potencial comercial das suas ideias, os participantes podem também avaliar a sua vocação e competências empreendedoras. «Em termos de negócio e empresariais está muito acima das nossas expetativas, sendo que por cada edição são criadas três a quatro novas empresas. No total, temos 41 empresas, 11 das quais são spin-off da UMinho», contabilizou Helena Moura, coordenadora do IdeaLab.

Trata-se de uma iniciativa que tem sido muito importante no ecossistema de inovação da UMinho e no lançamento de jovens empreendedores, que têm no projeto cinco meses de tutoria gratuita para desenvolver competências, avaliar o mercado, ter um plano de negócios e preparar a criação da sua empresa. «Esta ideia foi pioneira nas universidades portuguesas e surgiu para estimularmos e valorizarmos o conhecimento que aqui era produzido. À medida que fomos avançando, fomos percebendo que outras áreas, designadamente das Ciências Humanas, começavam a criar ideias com potencial e começamos também a apoiar estas áreas. Hoje, o IdeaLab passou de uma fase tecnológica para abarcar todas as áreas do conhecimento, num modelo mais que testado e que funciona com qualquer ideia de negócio», ilustrou e valorizou Helena Moura.

Surgido em 2009, o projeto pioneiro já apoiou 250 ideias, mais de 40 novas empresas e 550 participantes em 17 edições. «Em termos de negócio e empresariais está muito acima das nossas expetativas, sendo que por cada edição são criadas três a quatro novas empresas. No total, temos 41 empresas, 11 das quais são spin-off da UMinho», contabilizou Helena Moura, ontem, em Guimarães, à margem da sessão final da 17.ª edição.

Guarda-chuvainquebrávele chef em casa

Ontem, na final da 17.ª edição do IdeaLab, um júri de personalidades convidadas colocou à prova a apresentação de sete novos projetos, no espaço B-Lounge da Biblioteca do campus de Azurém, em Guimarães. Um guarda-chuva inquebrável, um chef ao domicílio ou garrafa com líquido e snacks individuais foram algumas propostas.

Os projetos incluiram uma tecnologia inteligente de difusão publicitária (AdveryWhere), guarda-chuvas inquebráveis e secos (Ardósia Umbrellas), uma organização não governamental para a educação e ajuda humanitária de emergência (Gen Mundus), um serviço de chef ao domicílio (Madame Banana), uma garrafa que transporta líquido e snacks individuais (Nude), um sistema de sensorização do saco de boxe (SportyBioSense) e novos ingredientes extremamente nutritivos para a indústria alimentar (VB Food Solutions).

Os empreendedores são provenientes de diferentes áreas do conhecimento, como comunicação, desporto, desenvolvimento sustentável, engenharia de materiais, eletrónica, gastronomia e turismo. Desenvolveram as suas ideias e competências durante cinco meses, apoiados por consultores e elaborando um pré-plano de negócios, de forma a preparar o lançamento de uma empresa. O júri que os avaliou incluiu representantes da Critical Materials, Portugal Ventures, Stratia Investimentos e Associação Industrial do Minho.

Fonte:Diário deo Minho

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Coloque o seguinte código de segurança * Time limit exceeded. Please complete the captcha once again.