Loulé: Resolução de problemas na iluminação pública à distância de um clique

0
1

Autarquia apresentou Carta Energética Municipal e outras ações no âmbito da eficiência energética
Aníbal Moreno apresentou os diversos projetos da autarquia
Sessão decorreu na passada sexta-feira
Denunciar os problemas de iluminação pública no concelho de Loulé está agora à distância de um clique, no âmbito de um projeto inovador apresentado sexta-feira pela autarquia local, a Carta Energética Municipal, para além de outras iniciativas para obter mais eficiência energética.

Este projeto nasceu na sequência de uma parceria entre o município e a Agência Regional de Energia e Ambiente do Algarve (AREAL) que, após um levantamento exaustivo, criou uma base de dados com a localização de candeeiros e postes de transformação.

Os cidadãos terão acesso à plataforma através do sítio da câmara de Loulé, que disponibilizará mapas e imagens de satélite, permitindo que qualquer munícipe denuncie os problemas de iluminação pública.

Lâmpadas fundidas, candeeiros danificados, má colocação de postes ou casos de desperdício, são alguns dos exemplos dos problemas que os munícipes poderão denunciar.

Após o preenchimento de uma ficha, o aviso segue automaticamente para os serviços da autarquia, que ativarão as diligências necessárias, dando depois uma resposta ao cidadão queixoso, por correio eletrónico.

“A Carta Energética Municipal é um projeto pioneiro na região e, provavelmente, no país”, resumiu o vereador do pelouro, Aníbal Moreno, à margem da sessão de apresentação do projeto, realizada na passada sexta-feira, na sala da assembleia municipal.

Para o responsável, a iniciativa aproxima os munícipes dos serviços autárquicos. “A informação chega ao município sem que o cidadão gaste dinheiro com um fax ou um telefonema, ou seja, a custo zero. Isto permite aumentar a confiança que os munícipes têm nos nossos serviços.”

Neste momento, este projeto abarca apenas as freguesias da cidade de Loulé – São Sebastião e São Clemente – e a freguesia de Quarteira. Está em curso o levantamento em Almancil e Boliqueime e, posteriormente, avançará nas restantes freguesias do concelho.

O diretor regional de economia, Gilberto Viegas, presente na sessão, elogiou “uma ferramenta extremamente importante de interação com os cidadãos, mas também em termos de redução dos orçamentos municipais com a energia”.

Poupar na eletricidade e no custo da fatura

Durante a sessão, Aníbal Moreno apresentou ainda um conjunto de iniciativas promovidas pela autarquia louletana no âmbito da eficiência energética, que permitirão poupar, dentro de dois anos, não só eletricidade como o custo da fatura.

“Este é o resultado de um trabalho de continuidade que o município tem feito nesta área. Há um grande pendor, e uma preocupação acrescida, sobre a área da iluminação pública, um elemento cuja fatura que pagamos no final do mês é muito pesada”, disse o vereador.

O investimento, revelou o autarca, ronda um milhão de euros. “Esperamos obter retorno em dois anos”, acrescentou, “sem pôr em causa a segurança dos cidadãos nem a qualidade de trabalho nos equipamentos intervencionados.”

Em causa, estão equipamentos solares para aquecimento de águas sanitárias no pavilhão e nas piscinas, a utilização de tecnologias de eficiência energéticas em obras municipais, a instalação de relógios astronómicos para regular as luminárias e postos de transformação e de redutores de fluxo luminoso, a cobertura de LED em semáforos e sistemas de telegestão em depósitos de água e a instalação de dezenas de oleões, entre outras ações.

Aníbal Moreno manifestou ainda o empenho do município em avançar com ações na área da mobilidade elétrica, como instalação de pontos de carregamento de veículos elétricos, criação de zonas para estacionamento exclusivo para estes veículos e renovação da frota municipal de ligeiros de passageiros, através da aquisição de veículos elétricos.

O presidente da Câmara Municipal de Loulé e representante dos municípios algarvios na AREAL, Seruca Emídio, sublinhou o facto de Loulé “ser a autarquia do Algarve mais avançada” nesta matéria, lembrando a importância da racionalização energética “para a qualidade de vida das populações e qualidade do ambiente”.

Fonte:Diário Online

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Coloque o seguinte código de segurança * Time limit exceeded. Please complete the captcha once again.