OM tem dúvidas sobre o cumprimento das regras que impõem limites no recuso a médicos internos

0
3

“Os médicos internos não podem ser pau para toda a obra”. A declaração é do presidente da Ordem dos Médicos (OM) de Portalegre Jaime Azedo, que reagia ao novo regulamento da Ordem, que impõe limites aos hospitais no recurso a médicos internos para as urgências.

Segundo Jaime Azedo os médicos internos, que estão em formação, tem sido “usados de forma abusiva para colmatar as insuficiências de recursos humanos nos hospitais”.

A Ordem dos Médicos reitera que é preciso impor limites. O novo regulamento, publicado dia 1, reforça que os internos não têm autonomia para fazerem urgências sozinhos; proíbe que os internos façam mais de 50% das urgências em horário noturno e mais de três fins-de-semana a cada oito.

As novas orientações são positivas, mas Jaime Azedo tem dúvidas sobre o seu cumprimento, considerando que “ vai depender de quem está à frente das direções clinicas”.

Segundo a Ordem dos Médicos os diretores clínicos que não cumprirem as regras sofrerão processos disciplinares.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Coloque o seguinte código de segurança * Time limit exceeded. Please complete the captcha once again.