Setembro cultural em Albufeira

0
1

São várias as sugestões para este mês de setembro na Galeria de Arte Pintor Samora Barros, Museu Municipal de Arqueologia e Galeria Municipal de Albufeira. Pintura, escultura e fotografia são as formas de arte que diferentes artistas escolheram para apresentar nos diversos espaços culturais da cidade
Começou na semana passada a exposição temporária “Arquivos Habitados: Acervo Metaphorical”, uma mostra de fotografia de Rui Gregório que vai estar patente no Museu Municipal de Arqueologia de Albufeira, na zona antiga da cidade, até 30 de dezembro. Com este trabalho, Rui Gregório, que é técnico de fotografia e vídeo da autarquia desde 2006, pretende fomentar a consciencialização para o paradigma dos arquivos enquanto espaços restritos e inacessíveis.
Estes “Arquivos Habitados”, diz-nos o autor, revelam uma apetência visual e estética dos elementos documentais. A exposição pode ser visitada até ao fim do mês de dezembro, de terça a domingo, das 14h00 às 19h00 e das 20h00 às 22h00. Encerra à segunda-feira.
Olavo Cavaco é o artista que se segue com uma exposição de pintura a decorrer na Galeria de Arte Pintor Samora Barros desde o início do mês. Desde os 20 anos que tem desenvolvido o seu trabalho com recurso ao domínio de técnicas tão variadas como a pintura a óleo, o desenho, o pastel ou o acrílico e a sua obra denota uma técnica evoluída e apurado sentido estético. O seu trabalho mais recente carateriza-se por composições imaginárias de cariz surrealista. Para ver na Galeria Samora Barros até ao dia 29 de setembro, de segunda a sábado, das 9h30 às 12h00 e das 13h30 às 17h30. Encerra domingos e feriados.
Jorge Mealha expõe na galeria municipal
De 14 de setembro a 20 de outubro, pode ver a exposição de escultura em cerâmica “Geometrias & Derivados” de Jorge Mealha, na Galeria Municipal, junto aos paços do concelho. Natural de Moçambique, desde que se fixou no Algarve, em 1975, que se tem vindo a revelar um dos mais importantes ceramistas e escultores portugueses. Já foi convidado a expor no Museu Nacional do Azulejo, em Lisboa, e o seu trabalho tem vindo a tornar-se notado, especialmente através de obras criadas para espaços públicos e monumentos, bem como inúmeras encomendas para casas particulares. Entre as mais conhecidas estão um grande painel na fachada da Marina de Lagos e outro na fachada do Marinotel, em Vilamoura. A sua obra carateriza-se por uma abordagem contemporânea de temas, desde a estatuária à cerâmica utilitária, essencialmente produzidas em grés. De segunda a sábado, das 9h30 às 12h30 e das 13h30 às 17h30.

Fonte: Jornal do Algarve

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Coloque o seguinte código de segurança * Time limit exceeded. Please complete the captcha once again.