Via-Sacra de Maximinos reforça parcerias e quer ter 300 figurantes

0
4

A Via-Sacra de Maximinos é cada vez menos de Maximinos, uma vez que ultrapassou as fronteiras da freguesia, conquistou os bracarenses e também transbordou para além do concelho.

Ontem, na apresentação do evento, ficou a saber-se que, para além de mais parceiros, a edição de 2017 vai ter mais de 300 figurantes e espera-se, naturalmente, ultrapassar também o número de espectadores.

A cerimónia de apresentação do cartaz decorreu na sede da Associação Comercial de Braga (ACB), uma das novas parceiras, e contou com a presença de Rui Marques, diretor-geral da ACB; Luís Pedroso, presidente da União das Freguesias de Maximinos, Sé e Cividade; Altino Bessa, vereador do Ambiente da Câmara Municipal de Braga; e Francisco Mota, coordenador-geral da Via-Sacra de Maximinos.

Na plateia estiveram representantes de outros parceiros, como o sub-comissário da PSP de Braga, Joaquim Magalhães Pereira; e o capitão Ferreira, presidente dos Bombeiros Voluntários de Braga.

Aliás, a chegada de novos parceiros como a ACB, a Catequese de S. Pedro de Maximinos, as associações de moradores de Maximinos, Montélios e Andorinhas representa não só reforços para a figuração, como o envolvimento de cada vez mais instituições de Braga.

Um vídeo promocional, com imagens das edições anteriores, antecedeu a intervenção de Francisco Mota, referindo que a preparação desta edição começou há cinco meses, precisamente para que seja cada vez melhor.

«A Via-Sacra de Maximinos é cada vez mais de Braga. É um evento cultural e catequético mas também litúrgico/religioso. É também um momento de reflexão sobre a Paixão, Morte e Ressureição de Cristo, a pensar nos jovens. Durante o percurso, do Lugar do Penedo ao Monte de S. Gregório, haverá oração, encenação e cânticos, sempre com muita seriedade».

Uma das novidades deste ano é uma exposição de fotografias, no centro comercial Nova Arcada.

ACB coloca 300 cartazes nas lojas

Francisco Mota lembrou que, apesar de ser feita fora do casco urbano de Braga, a Via-Sacra é da cidade. Foi também a pensar em estar mais perto dos bracarenses que se estabeleceu a parceria com a ACB; assim como com o Turismo Porto e Norte de Portugal.

Na sua intervenção, Rui Marques elogiou a iniciativa que é feita sobretudo pela sociedade civil e para a sociedade civil, sem grandes recursos financeiros. «É um evento que acrescenta valor ao turismo e à economia, além de dar visibidade e notoriedade a Braga», considera.

Assim, a ACB associa-se ao evento e vai distribuir 300 cartazes, em PVC, pelas lojas e ruas de Braga. «É também uma oportunidade para os comerciantes de Braga», disse Rui Marques.

Altino Bessa compara crescimento da Via-Sacra ao do Presépio de Priscos

Altino Bessa esteve na apresentação da Via-Sacra de Maximinos em representação da Câmara de Braga, mas também como um participante e entusiasta da iniciativa. Aliás, o vereador acredita que a Via-Sacra tem um enorme potencial de crescimento e comparou-a ao Presépio de Priscos.

«É, porventura, o evento com maior potencial de crescimento em Braga. Acredito que dentro de meia dúzia de anos a Via-Sacra ao vivo de Maximinos será uma das maiores do país e talvez da Península Ibérica. Se há pouco tempo alguém disse que o Presépio de Priscos iria ser o maior da Europa, alguém duvidava. Dentro de poucos anos vão ver que não estou a dizer nenhum disparate», prevê.

Antiga sede da junta requalificada para acolher as associações

Por seu turno, Luís Pedroso, presidente da União das Freguesias de Maximinos, Sé e Cividade, retribuiu os agradecimentos a Francisco Mota, como figura de destaque no crescimento da Via-Sacra de Maximinos, mas agradeceu também aos parceiros e patrocinadores que estão a ajudar na requalificação da antiga sede da Junta de Maximinos, uma clara mais-valia para a localidade.

Luís Pedroso anunciou que o espaço vai servir de sede não só da Via-Sacra como de grupos e instituições, incluindo as Associações de Moradores que vão surgindo na União de Freguesias.

O autarca dirigiu palavras de agradecimento também aos primeiros suportes da Via-Sacra, como os Escuteiros de Maximinos e Grupo Alvorada. E desafiou os pais a levarem os filhos à Via-Sacra no dia 9 de abril.

Fonte: Diário do Minho

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Coloque o seguinte código de segurança * Time limit exceeded. Please complete the captcha once again.